Rua Dr. Sales de Oliveira, 809 - Vl. Industrial - CEP 13035-270 - Campinas – SP

+55 19 99781-6418

5 dicas simples de como fugir da “malha fina” do Imposto de Renda 2024

O Imposto de Renda é uma obrigação legal estabelecida pelo Governo Federal e tem como principal função fazer com que o cidadão brasileiro (contribuinte) informe os seus rendimentos (tributáveis ou não) recebidos durante determinado período. Por ser um procedimento obrigatório e cheio de detalhes, grande parte da população deseja evitar erros na hora de declarar, a fim de afastar problemas fiscais futuros.

Em contrapartida, atenta a este movimento, a Receita Federal utiliza mecanismos para detectar inconsistências, omissões ou até mesmo fraudes de contribuintes, por meio do cruzamento de informações. Ou seja, tudo que o contribuinte informa na declaração do IR é comparado com o que outras pessoas, empresas ou entidades declararam em suas próprias prestações de contas ao Fisco.

O cruzamento de dados auxilia a Receita a detectar falhas e tentativas de omissão de informações. Geralmente, esses dados são chamados de “dedos-duros”, pois são declarações acessórias de instituições ou órgãos públicos, entidades e profissionais liberais. Nesse sentido, é indispensável ficar atento ao declarar informações que, se apresentarem alguma inconsistência, vão “dedurá-lo” à Receita.

Separamos 5 dicas essenciais para te auxiliar nesse processo. Vamos lá?

  1. Organize sua documentação: Mantenha todos os seus documentos financeiros organizados – incluindo recibos, comprovantes de despesas, extratos bancários e informações de rendimentos. Certifique-se de que todas as informações estejam corretas e atualizadas antes de iniciar a declaração do Imposto de Renda.
  2. Declare todas as fontes de renda e não omita rendimentos: Certifique-se de declarar todas as suas fontes de renda, incluindo salários, aluguéis, rendimentos de investimentos, entre outros. Não deixe de informar nenhum valor recebido durante o ano, mesmo que seja de fontes menores.
  3. Muita atenção aos valores declarados: Verifique cuidadosamente os valores declarados em sua declaração de Imposto de Renda e certifique-se de que correspondem aos valores informados pelos pagadores. Erros de digitação ou omissões podem levar à malha fina.
  4. Informe corretamente as despesas dedutíveis: Despesas médicas e educacionais inexistentes ou que não correspondem ao valor declarado, podem levar a uma malha fiscal. É importante guardar todos os comprovantes dessas despesas para comprovar a sua veracidade.
  5. Esteja atento às atualizações da Receita Federal: Fique atento às atualizações e mudanças nas regras do Imposto de Renda feitas pela Receita Federal. Mantenha-se informado sobre novas obrigações ou mudanças nos procedimentos de declaração para garantir que você esteja em conformidade com a legislação fiscal.

Nós do WG Contabilidade temos uma equipe especializada nisso. Traga seu IR para o WG e deixa que nós cuidamos disso pra você.

Dicas para manter um planejamento fiscal eficiente em 2024

O sistema tributário brasileiro é algo bastante complexo, por isso é fundamental que os contribuintes estejam atentos às mudanças a fim de evitar multas, juros e outras penalidades.

Separamos algumas dicas importantes para ajudá-lo a alcançar esse objetivo:

  1. Fique atualizado com a legislação fiscal: A legislação tributária está sempre mudando, por isso é fundamental ficar atualizado com as leis fiscais relevantes para o seu negócio. Isso inclui acompanhar mudanças nas alíquotas de impostos, novas regulamentações e possíveis incentivos fiscais.
  2. Planeje antecipadamente: Planeje suas estratégias fiscais com antecedência, considerando os objetivos da empresa e os prazos fiscais. Antecipe-se a possíveis mudanças na legislação e adapte seu planejamento conforme necessário.
  3. Utilize incentivos fiscais: Esteja ciente de quaisquer incentivos fiscais disponíveis para o seu setor ou região e aproveite-os ao máximo. Isso pode incluir créditos fiscais, isenções ou benefícios fiscais para investimentos em determinadas áreas.
  4. Mantenha registros precisos: Manter registros financeiros precisos é fundamental para um planejamento fiscal eficiente. Utilize sistemas de contabilidade confiáveis ​​e mantenha-se organizado ao documentar todas as transações comerciais.
  5. Considere a estrutura jurídica da empresa: A estrutura jurídica da sua empresa pode ter um impacto significativo na sua carga tributária. Avalie regularmente se a estrutura atual é a mais vantajosa do ponto de vista fiscal e esteja aberto a fazer ajustes conforme necessário.
  6. Planeje suas despesas de forma estratégica: Identifique oportunidades para deduções fiscais legítimas e planeje suas despesas de forma estratégica para maximizar os benefícios fiscais.
  7. Consulte um profissional de contabilidade ou tributação: Se necessário, consulte um profissional de contabilidade ou tributação para ajudá-lo a desenvolver e implementar um planejamento fiscal eficiente. Um especialista pode fornecer orientação personalizada com base na situação específica da sua empresa. Nosso time está aqui para te auxiliar!
  8. Esteja preparado para auditorias: Mantenha todos os registros financeiros e documentação relacionada à sua situação fiscal atualizados e prontos para uma possível auditoria. Esteja em conformidade com as obrigações fiscais e mantenha uma comunicação aberta com as autoridades tributárias, se necessário.

Ficou com alguma dúvida ou precisa de um suporte com o seu planejamento? Conte conosco!

Contabilidade Consultiva: Como ela pode transformar sua Empresa?

Falamos muito sobre essa abordagem, mas você sabe exatamente o que é e como ela pode impactar positivamente um negócio?

Ao longo dos anos a Contabilidade evoluiu e sofreu grandes mudanças, todas elas necessárias para a evolução das empresas e para acompanhar a complexidade dos negócios atuais.

Anos atrás, as escriturações ainda eram feitas manualmente, notas fiscais eram emitidas em folhas com papel carbono e vias coloridas, processos datilografados e salvos em disquetes e m² preenchidos por várias caixas de arquivos. Após inúmeras transições, a contabilidade deixou de ser um mero registro de conformidades, gerando insights valiosos aos empresários e trazendo uma abordagem mais estratégica, apoiando tomadas de decisões e melhorando o desempenho dos negócios como um todo.

Essa contabilidade mais próxima do cliente é chamada de Contabilidade Consultiva e é vista como o futuro da profissão.

Diferente da abordagem da contabilidade tradicional, na consultiva, além de cumprir a lei, o contador assume uma posição de um parceiro estratégico, inserindo a tecnologia nas rotinas internas, fornecendo meios para facilitar processos e a captação da análise de dados. Os profissionais envolvidos na consultoria vão analisar os dados, registros e todas as movimentações do seu negócio para oferecer as melhores soluções para o desenvolvimento da sua empresa. Para isso, é importante que eles entendam e acompanhem o dia a dia empresarial, estabelecendo uma verdadeira parceria com você, dono do negócio. 

Como você imagina seu negócio daqui a 5 anos? Sabe exatamente o que fazer para alcançar seus objetivos? Consegue usar os dados a seu favor?

A contabilidade consultiva pode te ajudar. Clique aqui e fale conosco.

O que muda com a nova faixa de isenção de Imposto de Renda sancionada pelo Governo

O governo federal sancionou recentemente a lei que atualizou a base da tabela progressiva do Imposto de Renda: a faixa de isenção passou de R$ 1.903,98 para R$ 2.112,00. A mudança já havia entrado em vigor por meio de uma Medida Provisória publicada em maio, mas agora tem força de lei e já vale para a temporada do IR 2024.

Com a alteração, a Receita Federal vai utilizar um novo desconto simplificado mensal de R$ 528 na fonte para operacionalizar a nova faixa de isenção — que passa a ser de R$ 2.640 — o valor é equivalente ao dobro do novo salário mínimo, de R$ 1.320.

O efeito prático da correção é o seguinte: cerca de 13,7 milhões de contribuintes pessoas físicas vão deixar de pagar o Imposto de Renda, segundo projeção da Receita Federal.

O governo prometeu subir a isenção ainda mais, para R$ 5 mil, até 2026 — ano em que termina o terceiro mandato de Lula. Siaba, a seguir, tudo sobre a nova faixa de isenção.

Defasagem da tabela

O último ajuste integral da tabela de IR ocorreu em 1996 e, de lá para cá, a desafagem acumulada atingiu 155%, considerando o IPCA até maio de 2023, conforme dados mais recentes da Unafisco Nacional (Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal).

A última atualização foi parcial, há oito anos, durante o governo de Dilma Rousseff (PT), quando se fixou a faixa atual de isenção em R$ 1.903,98.

A nova tabela progressiva já está em vigor desde 1º de maio de 2023.

O que é a nova dedução?

Para operacionalizar a nova faixa de isenção de R$ 2.640 anunciada pelo governo, a Receita Federal ampliou a faixa inicial da tabela progressiva para R$ 2.112 e adotou um novo mecanismo de dedução simplificada de R$ 528.

Assim, com o desconto simplificado, quem ganha até R$ 2.640 não pagará nada de IR, nem na fonte, nem na declaração de ajuste anual.

Como uma alternativa às deduções já existentes, como previdência, dependentes, pensão alimentícia, entre outros, o contribuinte pode optar por usar desconto simplificado mensal, correspondente a 25% da faixa inicial da tabela progressiva, os R$ 2.112, ou seja de R$ 528, conforme detalha Danielle Bibbo, sócia-diretora de impostos da KPMG.

Qual é a finalidade da dedução?

Considere uma pessoa que não tenha muitas despesas e não precise deduzir muitos itens e optar pelo modelo simplificado. “Caso as deduções do contribuinte não chegarem a R$ 528, será possível optar por usar essa dedução simplificada”, exemplifica Bibbo.

Giuliana Burger, advogada tributária do Velloza Advogados, explica que o desconto simplificado costuma ser aplicado no formato anual pelo empregador, que calcula o mesmo para seu funcionário.

“Quem precisa calcular em bases mensais seu rendimento pode fazer essa dedução todo mês, como autônomos ou quem recebe rendimento de aluguel”, diz.

A medida será opcional: quem tem direito a descontos maiores pela legislação atual, como dedução pela previdência, dependentes e pensão alimentícia, não será prejudicado.

Fonte: Infomoney

Receita muda prazo de entrega da declaração do Imposto de Renda 2023

A Receita Federal alterou o prazo de entrega da declaração do Imposto de Renda 2023. A partir deste ano, os contribuintes terão prazo maior, de 15 de março a 31 de maio. Em geral, a entrega do imposto começava no primeiro útil do mês de março e seguia até o final de abril.

Segundo o fisco, a alteração tem como objetivo permitir que, desde o início do prazo de entrega, todos os contribuintes já possam ter acesso à da declaração pré-preenchida do IR.

Como a maioria das informações sobre a renda do contribuinte só chega à Receita no final do fevereiro, prazo que as empresas têm para entregar as declarações de pessoas jurídicas, o prazo maior fará com que a campanha do Imposto de Renda já comece com todas as funcionalidades oferecidas a todos os contribuintes. Em 2022, a liberação foi em partes.

“A [declaração] pré-preenchida proporciona menos erros e maior comodidade ao contribuinte”, diz o auditor fiscal José Carlos Fernandes da Fonseca, supervisor nacional do IR.

Tabela do IR não foi atualizada

A tabela de descontos do não foi atualizada pelo governo no ano passado. Com isso, deverão ser obrigados a declarar o IR em 2023 os contribuintes que receberam rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2022, o que inclui salário e aposentadoria, por exemplo.

Deve ser obrigado a declarar o IR quem, em 2022:

  • Recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70, o que inclui salário, aposentadoria e pensão, por exemplo
  • Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte (como rendimento de poupança ou FGTS) acima de R$ 40 mil
  • Teve ganho de capital (ou seja, lucro) na alienação (transferência de propriedade) de bens ou direitos sujeito à incidência do imposto; é o caso, por exemplo, da venda de carro com valor maior do que o pago na compra
  • Teve isenção do IR sobre o ganho de capital na venda de imóveis residenciais, seguido de aquisição de outro imóvel residencial no prazo de 180 dias
  • Realizou operações na Bolsas de Valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas
  • Tinha, em 31 de dezembro, posse ou propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, acima de R$ 300 mil
  • Obteve receita bruta na atividade rural em valor superior a R$ 142.798,50
  • Se quiser compensar prejuízos da atividade rural de 2022 ou anos anteriores
  • Passou a morar no Brasil em 2022 e encontrava-se nessa condição em 31 de dezembro

    *A Receita pode mudar os limites de patrimônio, por exemplo, mas especialistas afirmam que é pouco provável que isso aconteça

Como funciona a declaração pré-preenchida

A nova modalidade de preenchimento começou a funcionar em 2022, mas estava disponível apenas para contribuintes com conta prata ou ouro no portal Gov.br. Ao todo, 10 milhões cidadãos foram beneficiados. O acesso ao documento pré-preenchido é feito no e-CAC (Centro de Atendimento Virtual da Receita Federal), pelo programa instalado no computador ou por celular ou tablet, por meio do app Meu Imposto de Renda.

Fonte: Receita Federal

Comunicado Antendimento Online

Comunicado de Atendimento Online

Como empresa especializada em contabilidade, somos comprometidos com os números e a gestão das empresas! Como seres humanos, somos comprometidos com a vida! Assim, em virtude do coronavirus e buscando garantir a saúde e a segurança dos nossos colaboradores, clientes e amigos, estamos alterando nossa forma de atendimento até segunda ordem.

Como já é conhecimento, utilizamos sempre as plataformas digitais (e-mails) para o envio de guias e documentos. O que faremos agora é intensificar a utilização de ferramentas digitais para melhorar nossos processos e minimizar o perigo de contaminação de todos.

Por hora, nossos contatos serão mantidos por e-mail, sem qualquer tipo de alteração e através dos seguintes WhatsApps:

Financeiro e Legalização: (19) 99391-8966
Contábil: (19) 99304-5921
Fiscal: (19) 99304-5901
Depto. Pessoal: (19) 99304-5937
Imposto de Renda: (Henrique) (19) 97130-7823
Fabrício Grippe: (19) 99183-3925

Fique atento às nossas mídias sociais, pois estaremos postando as principais informações sobre as questões fiscais e tributárias que impactam diretamente a sua empresa!

Instagram: wgcontabilidadeconsultiva
Fabriciogrippe
Facebook: WG Contabilidade
Fabrício WG

Temos convicção de que esse período passará muito em breve e até lá contaremos com a colaboração e compreensão de todos.

Muito obrigado e que Deus cuide de todos nós!

WG Contabilidade

Vai entrar no mercado como empresário? Quer empreender?

Abertura de Empresa

SAIBA COMO ABRIR UMA EMPRESA COM O NOSSO PASSO-A-PASSO.

1º. Passo:

Agende uma reunião com um de nossos contadores (WG Contabilidade), capacitado para lhe ajudar e sanar dúvidas oriundas a esta nova etapa de sua vida. Antes de estar presente nesta reunião, prepare-se, liste suas dúvidas e leve todas elas  para discutir com nossos profissionais.

2º. Passo:

Junto a este profissional e já munido de algumas informações relevantes a sua atividade, defina qual o melhor tipo de empresa você terá:

  • EMPRESÁRIO INDIVIDUAL;
  • SOCIEDADES LTDA;
  • EMPRESA INDIVIDUAL DE RESPONSABILIDADE LIMITADA – EIRELI;

Obs: No caso da Sociedade (especialmente) entre duas ou mais pessoas, deve-se atentar as cláusulas contratuais que definam as responsabilidades de cada sócio, sua participação na sociedade e em eventual dissolução por qualquer motivo (inclusive falecimento) como se dará a continuidade da sociedade, o assunto é chato mais essencial para a manutenção da empresa em casos extremos.

3º. Passo:

Defina o tipo de tributação que você terá, claro que nos da WG Contabilidade iremos lhe esclarecer qual a menor carga tributária você terá, sempre com base em seu Plano de Negócios.

  • SIMPLES NACIONAL;
  • LUCRO PRESUMIDO;
  • LUCRO REAL;

Obs: Por mais que no primeiro momento você opte em ser Simples Nacional, procure um escritório como o nosso, que trabalhe com empresas tributadas nos diversos tipo de tributação, pois se sua intenção é crescer e um dia sua empresa precisar sair do Simples Nacional, você não precisará mudar de escritório.

4º. Passo;

Ciente da sua atividade, o tipo de constituição da empresa e sua tributação, super importante atentar as licenças para que sua empresa não seja autuada com infrações pelos órgãos competentes, ou seja, tenha em seu planejamento e tenha todo o suporte do WG Contabilidade para deixarmos regular seu estabelecimento no quesito alvará de funcionamento, licença do corpo de bombeiros, vigilância sanitária e demais órgãos.

 

Fica como dica:

Quando tiver a vontade de abrir um negócio, seja uma aventura, uma ideia boa ou uma franquia ou até algo que já faça na informalidade monte um planejamento. Ele é essencial para que as coisas andam em conformidade em vários aspectos tais como: a) viabilidade do negócio (como negócio e como local desejado, se pode abrir este tipo de empresa ou não) b) qual a influencia do capital social e analise no IRPF para justificar o investimento, c) conhecer bem os custos, d) separar receitas e despesas pessoais dos da empresa.

Para ter mais agilidade traga para nós os seguintes documentos:

  • Duas cópias autenticadas do RG e CPF dos sócios;
  • Duas cópias simples do comprovante de endereço dos sócios;
  • Uma cópia simples da certidão de casamento (se casado);
  • Uma cópia simples do espelho do IPTU da empresa;
  • Uma cópia simples de um comprovante de endereço da empresa;

E as seguintes informações:

  • Nome empresarial;
  • Nome fantasia;
  • Atividade detalhada;
  • CNAE (código nacional de atividade econômica);
  • Capital Social;
  • Pró-Labore dos sócios;
  • Distribuição do capital entre os sócios;
  • Administração;

 

 Por Fabrício Grippe